Páginas

domingo, 21 de novembro de 2010

Sonhos de uma noite de verão

Não gosto de cochilar - os sonhos de cochilos são mais loucos que os sonhos de sono profundo. Meus sonhos são cruéis, longos, loucos, perturbadores e intensos. Meus sonhos me traem e me fazem acordar. E eu nunca consigo decidir se é melhor o sonho ou o acordar com gosto de vida na boca, sem poder vivê-la. Eu cochilei durante o show do Paul. Não, eu não tava no estádio, mas eu cochilei durante o show do Paul na TV. E deve ser culpa dessa lua absurda que tá lá fora, mas meu sonho foi mais louco que todos os outros sonhos que tive na vida. E olha que meus sonhos são piores que qualquer viagem de LSD, que qualquer copinho de ayuhasca que você possa ter bebido. Meus sonhos gritam, berram e se impõem como entidades autônomas. E o dia inteiro lendo Lacan deve ter contribuído pra isso também. E no sonho a analista gritava "você não se mostra faltosa, sua incompetente!" E eu só pensava - porque não conseguia falar, porque sou uma pomba lesa - que eu sou a carência em pessoa, que eu tenho mais falhas e faltas e buracos que um queijo suíço. Mas eu não conseguia dizer nada disso. Eu só ouvia a analista gritando, e quanto mais ela gritava mais altas ficavam as paredes do forte que eu construí pra nunca precisar sair. "E quem quiser que escale, que pergunte, que acredite, que se sinta seguro" Eu pensava, mas não dizia. Na verdade, eu só me encolhia. E que estranho que mesmo dentro do sonho eu tivesse consciência de que sonhava e dissesse pra mim mesma: "Isso é só um sonho, não se assuste. Você não é de se acovardar. Levanta, vai. Levanta e grita. Levanta!" Mas eu não levantava. No sonho, como na vida, eu precisava pisar firme, sentir chão, pra ter empuxo e pular. "Mas você é o chão, querida", dizia a rainha de copas. Por-ra ne-nhu-ma! Nunca mais quero ser o chão. Quem quiser que seja firme e aguente. E Sargent Pepper's começa a tocar e eu abro os olhos mas mesmo assim não paro de sonhar. Porra é essa, hein? Ainda bem que amanhã é segunda-feira. E Drummond sabe, né: "Hoje beija, amanhã não beija, depois de amanhã é domingo e segunda-feira ninguém sabe o que será. Inútil você resistir ou mesmo suicidar-se"

4 comentários:

Revista CRISiDEiA disse...

prometi e cumpri... estava necessitando escrever umas idiotices... e fiz o post a respeito do show do paul... o texto tá horrível...mas a intenção foi boa.(desculpe o excesso de intimidade utilizado pelo tal do jesus cristo nesse post)mas algo escrito ás 3;00 da manhã pode prestar?
não liga pras besteiras que eu estou escrevendo... tô bêba de sono... não sei se esse texto ficou tão bom quanto o primeiro...masss.... em homenagem a vc e a td mundo q não pode ir ao show do paul..."A Volta de Jesus Cristo,o retorno, parte II"

Penélope Charmosa disse...

Hoje meu dia tá meio corrido, mas amanhã prometo dar uma lida o seu texto com calma.

Bjs.

Eulália disse...

Menina, esses cochilos sao um perigo, sei bem o que eh isso. Ja te disse que teus sonhos sao uma otima fonte para teu livro de ficcao, principalmente os sonhos dos cochilos, ne? Beijos!

Guerreiro Antonio disse...

Amiga, até tô escrevendo um diário em separado só com meus sonhos. Assustador é ler depois. kkkkkk. Ainda bem que quase não tenho dormido, e cochilado menos ainda, senão já teria material pra uma série de livros!
Cacá